Desde adolescente assisto políticos de direita e esquerda se acusando de corruptos, e todos sempre trazem consigo retratações que mais parecem retiradas da mesma cartilha. Com o tempo amadureci e percebi o quanto estava equivocado em formar minhas opiniões com base apenas neste festival de acusações. Indiferente se fazem sentido ou não, elas sempre existiram e sempre existirão nesta eterna guerra fria pelo poder. E mandar ou não os culpados para a cadeia cabe ao judiciário que, ao que parece, também está com a credibilidade em baixa

Percebi que a honestidade ou a falta dela não é privilégio apenas da esquerda ou da direita, até porque há políticos de ambos os lados envolvidos em escândalos. Percebi também que a honestidade não deve ser o único critério para se avaliar um candidato. Primeiro porque ninguém faz mais do que a obrigação em agir com honestidade para com os outros, segundo porque a corrupção está longe de ser o único problema da classe política, tampouco o único motivo pelo qual o brasileiro continua numa pior por mais que trabalhe

Pois bem, há um candidato a presidente da república chamado Jair Messias Bolsonaro, atualmente filiado ao PSC. De acordo com seus simpatizantes o deputado é um verdadeiro exemplo de honestidade, um legítimo cidadão de bem. Na época não opinei, mesmo porque não tinha certeza se as qualidades a ele atribuídas condizem com a realidade.

Abraham Lincoln dizia que se queremos conhecer o caráter de uma pessoa basta dar poder à ela, mas pensando melhor, não sei se seria conveniente muito poder ao alcance de qualquer pessoa, principalmente em se tratando de um cargo tão importante. Não é demais lembrar que algumas medidas por parte de um presidente podem ser irreversíveis, Alexandre de Moraes (PSDB) colocado por Temer no STF que o diga. E indo mais ao extremo, os milhões de mortos nas tantas guerras ao longo da história são um bom exemplo do que é um país em mãos erradas.

E muito me preocupa esta modinha de colarem em um candidato a imagem de “cidadão de bem”, é um elogio um pouco precipitado considerando, por exemplo, que este era o nome do jornal da Ku Klux Klan. Rótulos nem sempre correspondem com a realidade. De qualquer maneira confesso que na época fiquei empolgado com este tal Bolsonaro, afinal não é todo dia que temos um santo em nosso cenário político. Por outro lado me lembrei de um ditado que quando a esmola é demais até o santo desconfia. Então como saber quem é este presidenciável para além do que dizem seus fãs? Nenhum candidato traz consigo uma bula indicando os efeitos colaterais, pelo contrário, todos posam de salvadores da pátria

Para me livrar daquela dúvida minha primeira atitude foi apelar para o bom senso, a começar por não me deixar levar pelo senso comum. Deixei de engolir tão fácil tudo o que ele diz e a prestar mais atenção no que ele vota. Deixei de seguir apenas páginas que o idolatram e a analisar mais a fundo as que não fazem questão de idolatrá-lo, até porque, esperar encontrar todas as verdades de alguém de direita em páginas de direita é tão ingênuo esperar encontrar todas as verdades de alguém de esquerda em páginas de esquerda.

Enfim, partindo deste pressuposto comecei minhas pesquisas sobre este que alguns inclusive chamam de “mito”, mas, tão logo comecei encontrei o nome do “mito” na “Lista de Furnas”. No entanto, como sempre analiso os dois lados de uma informação, é óbvio que procurei saber sua versão. Assim como os demais que se encontram na mesma lista ele nega envolvimento, e ainda alega que ela não é autêntica apesar da Policia Federal (que ele próprio diz ser uma instituição séria) ter confirmado o contrário.


 

Tentei me convencer que tudo não passava de armação da Federal e continuei minhas pesquisas. Mas acabei descobrindo também que ele enriqueceu rápido num curto espaço de tempo, coisa que nenhum gênio da matemática consegue explicar. Seria Bolsonaro um investidor tão astuto quanto Trump? Bom, pesquisei mais a fundo e descobri que o deputado não é envolvido com nenhum investimento que justifique sua multiplicação relâmpago de patrimônio… Pacto com o demônio? Descobri também que esteve metido num crime eleitoral em 2010, e na mesma semana descubro que foi flagrado usando cotas parlamentares para custear sua campanha a presidente, o que é proibido pelas regras da câmara

Ignorei novamente e segui nas pesquisas, e desta vez descobri que dois dos seus passatempos prediletos é proferir borracha em programas de auditório de baixo nível e produzir pequenos videos caseiros chamando outros políticos de “corruptos”. Claro, os “corruptos” aos quais ele se refere são sempre os de esquerda, nunca o vi criticar, por exemplo, Aécio Neves (PSDB)… O tal tucano que sempre esteve envolvido nos mais variados escândalos de corrupção além de ser grampeado planejando o assassinato do primo.

Na verdade o “mito” até chegou a dizer em 2014 que seria uma “honra” ser seu vice, e isso, mesmo após um policial ter denunciado Aécio por envolvimento com o narcotráfico, (policial encontrado enforcado pouco tempo depois). Muito estranha esta atitude de Bolsonaro, justo ele que é tido como o bastião da moralidade.

 

Outra atitude não menos estranha é que seus discursos se apoiam quase sempre em cima do mesmo tema; Violência! Bom, não há dúvidas que o Brasil está refém da criminalidade, entretanto as criticas ferozes do parlamentar são basicamente dirigidas aos criminosos pés de chinelo. Bolsonaro sempre se deu ao trabalho de fazer discursos acalorados criticando-os, mas não o vi com a mesma disposição para criticar, por exemplo, o filho do Ivo Pitanguy quando este encheu a cara, atropelou e matou um trabalhador. Com o filho de Eike Batista não foi diferente, cometeu o mesmo crime, e o deputado justiceiro se manteve em total silêncio.

Houve também aquele episódio envolvendo o filho de um diretor da filiada da rede Globo (RBS) em Santa Catarina, o playboy estuprou uma menor e o que o deputado disse? Nada! Outro episódio (mal esclarecido por sinal) ocorreu quando seu parceiro Marco Feliciano (PSC) foi acusado (por uma garota de direita) de estupro, nosso ilustre justiceiro mais uma vez preferiu o silêncio. Quanto à meia tonelada de cocaína encontrada no helicóptero dos Perrela não encontrei uma notinha sequer por parte do deputado. Estranho que um ferrenho crítico ao tráfico de drogas não tenha dito nada até hoje.

Quanto à Suzane Rischthofen (que mandou matar os pais a pauladas) ele até que se manifestou na época, mas pensando bem nem poderia ser diferente, já que além do crime ter ganhado repercussão internacional tratou-se de um casal de milionários. Outro crime que chocou a sociedade e que ele também se manifestou foi o do assassinato brutal da adolescente Liana Friedenbach. Mas como nem todos são tão desatentos quanto ele imagina, o pai da falecida logo percebeu sua intenção e o proibiu de tocar no nome dela, e ainda o chamou de “oportunista”.

Outra coisa estranha é que Bolsonaro nunca se manifestou em relação aos crimes cometidos diariamente por policiais corruptos, bem como não se indignou com os seguranças da bilionária Habbib’s quando estes espancaram um favelado de 13 anos de idade, até a morte. Eu poderia citar milhares de outros crimes polêmicos em que quando ele não foi omisso foi oportunista, mas não caberia citar todos aqui. E acho que nem preciso lembrar que ele também nada mencionou sobre a polêmica soltura do filho de uma desembargadora, que foi pego com 130 Kg de maconha além de armas e munição, né verdade?

Se Bolsonaro se limitasse a ser apenas mais um oportunista de mídia dava-se um jeito, o problema é quando seu oportunismo passa a prejudicar a população, como quando em 2016 votou a favor da entrega do petróleo brasileiro aos estrangeiros, uma das razões pelas quais foi criticado até pelos nacionalistas. Ele também ofereceu de bandeja a base de Alcântara aos norte americanos em uma entrevista concedida ao “New York Times”. Já em outra, concedida ao playboy Nando Moura, disse que o correto também seria o Brasil entregar a Amazônia para os EUA. Em 2013, diante a espionagem dos EUA, votou contra a moção de repúdio sob o pretexto de que o país é um grande parceiro comercial, enfim… Enéas Carneiro deve estar se revirando no túmulo com tanto “nacionalismo” por parte deste cidadão

Juro que tentei acreditar que tratava-se de um parlamentar decente, por isso fui ignorando fatos irrefutáveis e seguindo firme nas pesquisas. Eu realmente tinha esperança de encontrar pelo menos uma razão para votar nele além da sua suposta honestidade… Passei noites em claro confrontando informações.

Mas minha esperança durou até descobrir além de tudo que já citei, que o deputado sempre votou contra os interesses do trabalhador. E provas cabais temos aos montes no próprio site oficial da câmara. A “PEC das Domésticas” foi um exemplo clássico do seu desprezo para com os trabalhadores. Na época, inclusive, sua doméstica pediu as contas, por razões não muito convincentes, talvez tenha sido só coincidência (…) E as suas justificativas para votar contra elas não poderiam ser piores, um tapa no rosto da sociedade. Aliás, existe justificativa para atacar os direitos de um trabalhador?

Descobri também que ele defende menores salários às mulheres com o argumento de que elas trabalham menos do que os homens. Argumento surreal, visto que a maioria das brasileiras tem dupla jornada, ou seja, pega no pesado tanto fora quanto dentro de casa. Na verdade começam ainda na pré-adolescência ajudando a mãe a arrumar a casa enquanto os meninos, na mesma idade, na maioria das vezes está soltando pipa ou batendo uma bola.

Por acaso me lembrei que ele também não é muito fã de crianças na creche enquanto os pais ganham seu pão de cada dia, como podem conferir nas palavras dele aos 27:10 do vídeo contido neste link. Que alma generosa esta, não? Sempre pensando no bem estar das famílias mais simples

E nosso generoso deputado se vangloria de em 2009 ter feito uma indicação para o aumento da licença maternidade de 4 para 6 meses, mas não diz que tratou-se de uma indicação que contemplou apenas as militares. E quando o ele finalmente teve a chance de se redimir votando a favor dos trabalhadores no PL 4330 da terceirização, o que ele fez? Optou pela abstenção. E numa outra votação referente a uma terceirização ainda mais prejudicial aos trabalhadores (PL 4302/98), ele se acovardou novamente, até o imoral “Garotinho” se deu ao luxo de chamá-lo de “covarde”

No caso da terceirização há quem diga que ele não votou contra o trabalhador para não perder votos em 2018, e não votou a favor para não perder o apoio dos empresários que financiam sua campanha. Falando em empresários, gostaria de lembrar que num passado não muito distante Bolsonaro votou a favor do financiamento empresarial de campanhas, permitindo assim que os empresários continuem a bancar parlamentares (inclusive ele) para atender seus interesses no congresso em detrimento do trabalhador.

Não é demais lembrar também que o presidenciável esteve em SP negociando patrocínio de campanhas, vejam só, até com a Xuxa. Isso mesmo que você leu, aquela tal que, ao contrário dele, é contra a “lei da palmada”. Mas convenhamos, nestas horas ($$$) certas divergências não contam. Dá até pra se esquecer daquele filmezinho erótico onde Xuxa se esfrega com uma criança, né verdade Sr Bolsomito?

Tão estranho quanto o filme Estranho Amor que Xuxa protagonizou, só mesmo a tentativa de negociata ter partido justo de quem tanto se diz “defensor da moral e dos bons costumes”. Falando em crianças, minha esperança neste deputado durou até o mesmo propagar por ai que o PT estaria distribuindo “cartilhas gays” para elas. Óbvio que o charlatão foi desmascarado pelo site da “Nova Escola”, não só uma, mas duas vezes.

Depois de ter mendigado dinheiro de uma fulana que se esfregou com uma criança, acho pouco provável alguém em sã consciência ainda acredite que Bolsonaro tenha alguma preocupação sincera com as crianças. Mas pensando bem, em se tratando de um país onde há quem siga figuras feito “Inri Cristo”, soa até ingênuo falar em “sã consciência”. 

Minha esperança em Bolsonaro durou até descobrir que, com tantas coisas mais sérias para se preocupar, ele se dá ao trabalho de se preocupar com a “má influência” dos joguinhos de video-game, provando mais uma vez que trata-se de um fanfarrão. Minha esperança durou até descobrir que ele investe o tempo mais em perseguir homossexuais do que trabalhando, chegou inclusive a usar um vídeo alterado para prejudicar Jean Wyllys (PSOL). Deixe-me ver se entendi: Estamos pagando um salário monstruoso para um deputado cuidar do fiofó da população? É isso mesmo produção?

Minha esperança durou até descobrir que Bolsonaro alegava que FHC não investia em segurança ao passo em que fazia apologia à sonegação de impostos. Como este animal espera que um governo reforce a segurança sem dinheiro para investir? Sua justificativa beirou o ridículo, segundo ele quanto menos dinheiro na mão do governo menos dinheiro para o governo roubar. Será que se ele fosse presidente continuaria a pregar a sonegação? Se o que Bolsonaro diz fosse verdade, não teríamos tantos escândalos de corrupção no Brasil, tendo em vista que é o segundo país onde mais se sonega.

Quem assiste aos seus discursos pode até imaginar tratar-se sim de um típico “cidadão de bem indignado com a corrupção”, mas isso só até assistir a um certo vídeo onde ele enaltece Eduardo Cunha (PMDB) com o pretexto de que Cunha derrubou Dilma (PT), cidadã esta que diferentemente de Eduardo Cunha não meteu a mão nos cofres públicos para favorecimento pessoal.

Minha esperança em Bolsonaro durou até o presidenciável xingar uma jornalista de “idiota” e “analfabeta”, durou até o momento em que descobri que o tal cheque da JBS que ele jurou não ter aceitado voltou às suas mãos por meio de uma manobra dele e do seu partido, na época o PP.

O mais cômico neste episódio é que ele alegou não ter aceitado por saber que tratava-se de dinheiro sujo. Ora, se sabia que tratava-se de dinheiro sujo, porque justo ele que é um “exemplo de honestidade” não denunciou o esquema? E não pára por ai, ao ser desmascarado não teve a humildade de se desculpar sequer junto aos seguidores da sua seita, pelo contrário, pediu que eles derrubassem a página do rapaz (Leonardo Stoppa) que o desmascarou. Não tardou ele próprio ofender Leonardo, sobrou até para as profissionais da faxina que nada têm a ver com isso.


Minha esperança durou até descobrir que ele aplaude o que Israel (aliado histórico dos EUA) faz com os palestinos, além de classificar os imigrantes (incluindo mulheres e crianças) que fogem dos conflitos em seus países de escóriaDurou até descobrir que ele sempre age com total desprezo também para com os direitos indígenas.

E falando em indígenas, não me lembro do pau mandado dos fazendeiros manifestar repúdio ao vagabundo que cortou a garganta de um bebê indígena no colo da mãe, em Santa Catarina, talvez ele até dissesse algumas palavras, se fosse o bebê de alguma madame. Também não me lembro de ele pedir pena de morte para os filhinhos de papai que atearam fogo no índio Galdino em Brasília. E quem não se lembra do presidenciável prometendo que se eleito fosse, daria um fim nas reservas indígenas?

Minha esperança durou até ele reagir a uma ofensa dizendo para uma deputada que só não a estupraria devido a mesma ser muito feia, e como tal, não merecia. Ora cara pálida, e que mulher merece ser estuprada? E toda vez que este caso vem à tona seus fãs se desesperam a citam aquele projeto do deputado sobre castração química. Dizem que se ele realmente tivesse tendência a ser estuprador jamais teria surgido com este projeto etc. Juram que a tal lei funcionaria no Brasil, mas mentem! Isso jamais funcionou em país algum, não passa de outra jogada de marketing.

Mas cá entre nós, confesso que ainda prefiro esta medida do que nenhuma. Qualquer medida contra estuprador é bem vinda. Mas não podemos nos esquecer que se um político deseja realmente combater qualquer tipo de violência, o ideal é que ele ataque a causa do problema com a mesma contundência que ataca o problema em si. Há quem diga até que a maioria dos estupradores são impotentes, logo…  Abaixo a indicação de alguns estudos feitos na área que colocam em xeque a eficácia da referida castração:

– Menghini P, Ernst K. Anti-androgen treatment in a retrospective evaluation of 19 sex offenders. Nervenarzt. 1991 May;62(5):303-7. – Eher R, Gnoth A, Birklbauerl A, Pfäfflin F. The effects of antiandrogenic medication on relapse rates of sex offenders: A review. Recht und Psychiatrie. 2007;25(3):103–111. – The Oregon depo-Provera program: a five-year follow-up. Maletzky BM, Tolan A, McFarland B. Sex Abuse. 2006 Jul; 18(3):303-16. – Hanson RK, Bourgon G, Helmus L, Hodgson S. The principles of effective correctional treatment also apply to sexual offenders a meta-analysis. Criminal Justice and Behavior. 2009;36(9):865 – 891. doi: 10.1177 / 0093854809338545 – The World Federation of Societies of Biological Psychiatry (WFSBP) guidelines for the biological treatment of paraphilias. Thibaut F, De La Barra F, Gordon H, Cosyns P, Bradford JM, WFSBP Task Force on Sexual Disorders. World J Biol Psychiatry. 2010 Jun; 11(4):604-55. – Berlin FS. Risk/benefit ratio of androgen deprivation treatment for sex offenders. J Am Acad Psychiatry Law. 2009; 37(1):59-62 – Saleh FM, Guidry LL. Psychosocial and biological treatment considerations for the paraphilic and nonparaphilic sex offender. J Am Acad Psychiatry Law. 2003; 31(4):486-93

.

Minha esperança em relação ao presidenciável durou até eu descobrir que ele integra uma frente parlamentar em defesa dos rodeios, não bastasse ainda votou a favor da PEC da vaquejada. Durou até o momento em que descobri que ele repudia as cotas raciais, inclusive votou contra. Não contente em atrasar o lado dos negros, conseguiu um processo no lombo movido pelo Ministério Público por ofensas à comunidade negra, não foi o único processo em se tratando de racismo, numa busca no google (em sites sérios) qualquer um encontra outros processos de mesma natureza.

Minha esperança neste deputado durou até ele se posicionar contrário ao direito dos desempregados e analfabetos de votarem. Durou até descobrir que apesar do mesmo defender que todo “cidadão de bem” ande armado, apresentou um projeto (PDC 916/13) que consiste em proibir porte de armas pelos fiscais do IBAMA. Coincidência ou não, ele já foi pego pelos fiscais pescando em área proibida. Vingança ou os fiscais que não são cidadãos de bem? Mas não foi desta vez que Bolsonaro caiu, o STF alegou o princípio de insignificância e livrou a cara do parlamentar. Nenhuma novidade em um país onde o meio ambiente sempre foi tido como assunto insignificante.

Minha esperança no presidenciável durou até o momento em que ele fez um videozinho criticando a PEC 241 (e com razão), mas bastou um banquete com Temer para que o deputado mudasse de ideia. Não é demais lembrar que após as gravações das conversas entre Temer e o presidente da JBS provando definitivamente que Temer não passa de um bandido, Bolsonaro defendeu a permanência do bandido no governo. Mas ao perceber que o vídeo em que ele defende Temer descaradamente causou certo desconforto entre seus fãs, ele se viu obrigado a votar pela saída do bandido. Seus fãs ficaram contentes, até porque o leque de pretextos para continuar a defendê-lo é nada se comparado as razões para apedrejá-lo. Só se esqueceram que ele não fez mais do que a obrigação, bem como se esqueceram que antes desta votação ele fez o jogo de Temer, ou seja, ajudou a dar quórum garantindo o início da sessão que ajudou a sepultar a denúncia. Votou garantindo que a votação começasse rápido, para que se encerrasse rápido. Uma curiosidade; durante o voto o nobre deputado escreveu “HON CRI PAT“, na mão para lembrar de dizer as palavras “honesto”, “cristão” e “patriota”

 

Minha esperança durou até no dia em que ele que tanto se diz contra a criminalidade tentou impedir a apuração dos crimes cometidos pelos militares no regime militar. Regime onde crianças chegaram a ser torturadas para que seus pais confessassem até o que não fizeram, regime este em que mulheres presas eram abusadas pelos militares e, em algumas vezes, tinham ratos inseridos em sua genitália. Muitas vezes por ordem de Carlos Alberto Ustra, um dos ídolos de Bolsonaro. Não bastasse o deputado ainda zomba das famílias das vítimas do regime em questão.

Dilma, por exemplo, foi uma das vítimas que sobreviveu ao regime militar, Bolsonaro diz que foi justo o que ela sofreu, pois ela é uma “terrorista”. Pois é, bem contraditório que ele a classifique como uma “terrorista” quando que ele próprio ameaçou explodir um quartel em protesto ao salário que ganhava. Mas quando a coisa apertou nosso corajoso herói se disse inocente. E Bolsonaro ainda alega que além de “terrorista” Dilma é “comunista”, e como tal não merece credibilidade. Estranho que esta afirmação venha justo dele que apoiou um comunista para o Ministério da Defesa durante o governo Lula. E para quem não sabe, ele já votou em Lula, outro que ele chama de “comunista”.


Minha esperança durou até descobrir que ele é pró nepotismo, inclusive em 1998 foi comprovado que ele praticava nepotismo empregando em seu gabinete sua companheira, pai e irmão da infeliz. Isso que eu chamo de uma “família de bem”.

Em 2016 foi comprovado que seu irmão era servidor fantasma da Assembléia Legislativa de São Paulo, recebia quase 20 salários mínimos sem trabalhar. Como já era de se esperar, Bolsonaro disse que não sabia. Estranho também ele não saber de um parente tão próximo lesando os cofres públicos mesmo após ter afirmado que Dilma deveria saber dos esquemas de corrupção que destinaram milhões até para os inimigos da mesma.

Minha esperança em Bolsonaro durou até descobrir que ele trocava cartinhas com neonazistas (segundo a própria polícia), e creio que sua relação com estes tipos não pára por ai, do contrário não teria sido tão venerado por estes tipos em Recife e em São Paulo. Me causa até certa estranheza os fãs deste deputado repetirem feito papagaios por ai que o nazismo foi um “regime de esquerda”. Ora, se o nazismo foi de esquerda, e Bolsonaro se diz radicalmente contra a esquerda, qual o sentido de tanto flerte com neonazistas?

 

 

Outro exemplo não menos escandaloso foi sua aproximação com um membro do grupo de extrema-direita “Nacional Democracia”, neonazista assumido. Bolsonaro também admitiu que seu bisavô foi neonazista, portanto eu não me surpreenderia se descobrisse que seu papai e vovô também tinham certa simpatia pela ideologia em questão. E um dos seus filhos, Carlos Bolsonaro, ao que parece compactua com os gostos do papai, chegou inclusive a defender a eugenia, maiores detalhes sobre esta prática favor clicar neste link.

Carlos, só pra não se esquecer, é o coautor daquela lei que concede salário vitalício de R$ 15.000,00 aos vereadores cariocas. O mais cômico neste circo dos horrores é que, enquanto Bolsonaro segue elogiando Hitler, seus fãs fazem das tripas coração na esperança de descolar a imagem do deputado de Hitler. Chegam inclusive ao ridículo de tentar associar o nazismo ao socialismo, quando na verdade até o próprio parlamento alemão reconheceu que Hitler era de direita. O que nem precisava, levando-se em conta os discursos inflamados do nazista contra o socialismo e tudo mais que venha da esquerda. A única coisa que o difere de Hitler, é que este segundo não trabalhava contra o próprio povo

Outra idiotice dos seus fãs é criar falsas enquetes a favor do presidenciável, vide aquela que o coloca como “o politico mais honesto do mundo”, desmentida no mesmo dia por sinal. Me lembrou inclusive aquela estratégia de Joseph Goebbels (Ministro de Hitler) de repetir uma mentira mil vezes até que ela se torne uma verdade. Eleito Bolsonaro foi sim, eleito por um site australiano, mas não como o mais honesto, mas como o mais abominável do mundo. Será que foi em razão deste adjetivo que sua simples presença espantou o ator Bruno Glagliasso de um evento do UFC? Não sei, mas ao que parece não é só Glagliasso que tem antipatia deste cidadão

Ao que tudo indica nem o tucano Sergio Moro simpatiza muito com o “mais honesto do mundo”, do contrário não o teria esnobado publicamente. A moral de Bolsonaro parece estar oscilando também até entre parentes, nem o filho Eduardo Bolsonaro, votou nele para presidente da câmara. Eduardo é aquele que foi processado por ameaçar a ex namorada, esta da foto abaixo

Ainda sobre as enquetes, outro episódio tão humilhante quanto foi quando outro filho dele, Flávio Bolsonaro, criou uma junto aos seus seguidores comprovando de vez que a popularidade dele não é consenso nem entre os membros da sua seita. E sim querido leitor, tenho plena consciência de que ser popular nem sempre é sinônimo de competência, mas não poderia deixar de lembrar desta enquete e jogar por terra esta idiotice de que Bolsonaro é uma espécie de ser divino.

Minha esperança durou até descobrir que ele tornou-se deputado não para ajudar a população, segundo palavras do próprio, a ideia partiu da necessidade de um pouco mais de conforto. E, ao que tudo indica, ao ser expulso do exército ele passou por um perrengue daqueles, segundo alguns cariocas ele sequer tem profissão, há quem cogite inclusive que o mesmo sequer possui CTPS. Mas acredito que possui sim, mesmo que vazia.

Além do salário de deputado é bom lembrar que Bolsonaro está na reserva, recebendo do governo desde 1988 (obs: o que ainda não explica sua multiplicação relãmpago de patrimônio). Minha esperança neste deputado durou até ele e um dos seus pimpolhos levarem um processo por uma página nas redes cujo objetivo era espalhar mentiras contra desafetos. Durou até ele ajudar uma turma de fanáticos invadir a câmara pedindo pela volta da ditadura militar

Jair Messias Bolsonaro definitivamente está longe de ser um Messias tal como pregam os membros da sua seita, membros em sua maioria ignorantes, racistas, homofóbicos, misóginos, xenófobos e fascistas. E que ninguém se engane! Bolsonaro não os transformou nisso, eles sempre estiveram entre nós. O que Bolsonaro fez foi tirá-los do armário, e convenhamos, o fez com maestria.

A sociedade deve este favor ao deputado, hoje quando alguém confessa ser seu fã já sabemos o que esperar do infeliz, não há mais o risco de ninguém ser pego de surpresa. Ao votar em Bolsonaro mesmo quando se tem outras opções, e a opção de não votar em ninguém, a pessoa reforça que concorda sim com a visão de mundo do deputado… Como vovó já dizia: “O fruto não cai muito longe da árvore”

Apesar da fama questionável de “honesto” o presidenciável é apenas um político, e como tal já é de se esperar que use de todos os artifícios para convencer o eleitor de que é melhor do que os demais. Mas ao que tudo indica, só o que o difere dos outros é que Bolsonaro é imbatível na arte do senso comum! Um gênio que a cada dia consegue mais seguidores apenas apresentando soluções fáceis para problemas complexos. É inegável que ele detêm uma oratória contundente, pena que de nada adianta um deputado falar o que o povo gosta de ouvir ao mesmo tempo em que ataca os direitos deste mesmo povo. Parece que só os membros da sua seita fazem questão de não entender algo tão óbvio, mas enfim….

Se a única virtude de Bolsonaro ou de qualquer outro candidato se limitar a uma suposta honestidade, talvez seja melhor analisar outras opções. Pela minha lógica este deputado estaria fora da vida pública faz tempo, no setor privado, por exemplo, não é apenas o roubo o que leva um funcionário à demissão por justa causa, há pelo menos mais uns 12 motivosSe todo eleitor ao escolher um candidato adotasse os mesmos critérios adotados por um empresário ao aprovar (ou não) um candidato a uma vaga de emprego, estaríamos melhor representados. Mas infelizmente, grande parte dos brasileiros sequer entendeu que os políticos são nossos funcionários, muitos ainda acreditam que eles são nossos patrões.

Tão lamentável quanto, só mesmo uma outra parte dos brasileiros que segue iludida que o único problema do Brasil é a corrupção, razão pela qual ainda há tantos levando em conta só este critério na hora do voto. O fato de Bolsonaro ainda não ter se tornado réu em algum caso de corrupção nem de longe o torna o homem certo para administrar uma nação. Acreditar nisso seria como acreditar que fulano que matou beltrano não é tão mau assim se não roubou a carteira daquele que acaba de matar. Penso que somos pouco ambiciosos em nossas escolhas, e, consequentemente, distantes de desfrutar da mesma qualidade de vida dos trabalhadores de países como, por exemplo, a Noruega. Considerando os votos de Bolsonaro e seus pares contra os direitos das pessoas de baixa renda, no máximo continuaremos como “quintal” dos EUA

Às vezes me pergunto; seria Bolsonaro realmente um candidato honesto ou não passa de mais um canalha? Até onde sabemos ele não teve a vida revirada pelo avesso como reviraram a de Lula. Seria realmente confiável votar em alguém que jamais foi investigado tão a fundo? Dizem os fãs de Bolsonaro que é impossível Lula não ter metido a mão nos cofres públicos já que sempre esteve rodeado de corruptos. Ora, se for partir desta lógica, podemos dizer que é impossível que Bolsonaro não tenha feito nada de errado, tendo em vista que também sempre esteve rodeado de corruptos

Por fim, me libertei da ideia ridícula de que existem santos na política, e que Bolsonaro seria uma espécie de luz no fim do túnel. Hoje busco por um candidato completo, não pela metade. Quero confiar meu voto em um candidato que além de honesto com H maiúsculo (coisa que desconfio que ele não seja) não ataque meus direitos. Também passei da idade de acreditar em heróis. Na verdade busco por um candidato que não julgue alguém pela cor, nacionalidade, sexo, condição sexual, grau de instrução, orientação religiosa etc.

Peço desculpas ao leitor se pareço exigente, mas considerando o poder de um presidente, é o mínimo que nos cabe à princípio. Se um sujeito na condição de deputado não respeita nada e ninguém, não acredito que na condição de chefe máximo do executivo será diferente, pelo contrário. Em qualquer parte deste mundo já é tradição políticos falarem merda, mas em se tratando de ofender as pessoas Bolsonaro lidera disparado, aliás, se suas ofensas tivessem como alvo apenas adversários políticos dava-se um jeito, mas…

Bolsonaro dá show misógino durante palestra no Rio

 

De qualquer maneira, mais importante do que um politico diz são os projetos que ele vota e apresenta. Quantos projetos relevantes a favor dos miseráveis Bolsonaro apresentou nestes 30 anos de vida pública? Bom, dizem seus fãs que ele tem vários, mas que não passam porque os demais deputados “são corruptos”. Mas será que seus projetos são realmente bons?

Vejamos; além daquele projeto que proíbe porte de armas para os fiscais do IBAMA, há um outro de sua autoria que visa suspender nosso direito de dirigir só quando completarmos 40 pontos na CNH (hoje perdemos este direito com 21 pontos). Isso não me parece nem um pouco interessante, principalmente para os pedestres e ciclistas, também não me parece um projeto cujo propósito seja o combate à corrupção, portanto, não há razão para que os corruptos o tenham rejeitado.

Verdade seja dita, não aceitaram simplesmente porque não passa de mais uma bobagem como tantas outras que Bolsonaro apresentou. Bobagens que não justificam os votos que recebeu, tampouco o alto salário que recebe. Falando em rejeitado, seu partido atual, PSC, se recusou lançar-lhe como candidato a presidente, PSDC também descartou a ideia. Até a presente data cogita-se que ele vai se filiar o PEN (abreviação de penico)

Não só na politica, Bolsonaro é um oportunista até em se tratando de outros assuntos como pode-se conferir na imagem abaixo. Sua estratégia é a de sempre, arrebanhar cada vez mais analfabetos politicos visando instaurar de vez seu projeto fascista de poder

As baboseiras ditas por um político podem até não influenciar na sua vida que agora lê este texto, mas, suas medidas influenciam e muito na vida de todos nós. Se na condição de deputado este sujeito não tem consciência para com os mais vulneráveis, porque diabos eu haveria de confiar meu voto neste indivíduo? Votar em Bolsonaro só porque você odeia os mesmos políticos que ele faz tanto sentido quanto você flagrar sua esposa com outro na cama, e por vingança passar a dormir com o amante dela. Inclusive, enquanto eu escrevia este texto, ele votava a favor da reforma trabalhista, satisfazendo mais uma vez os caprichos da burguesia e provando de vez ao que veio.

Bolsonaro e seus pares não têm e jamais tiveram o menor pudor em atacar nossos direitos… Me dá náuseas só de imaginar este lambe-botas de grandes empresários administrando esta nação, seria uma desgraça para o proletariado. Um playboy aplaudir Bolsonaro é lugar comum, mas um pé rapado aplaudi-lo é assinar atestado de imbecil. Aliás, que tipo de pé rapado aplaudiria um parlamentar que ataca seus direitos? Um pé rapado que não trabalha e portanto não tem direitos? Um pé rapado que trabalha porém sofre de masoquismo? Reitero por fim que tão importante quanto saber se um político é honesto é saber das suas atitudes para com o trabalhador que carrega este país nas costas, qualquer coisa fora isso é conversa fiada.

Autoria: PC/PCO