Por Isabel Dias Machado no Facebook

Daqui a uns 50 anos, lendo sobre o golpe de 2016 e suas consequências para o país, o povo vai se perguntar: Como a população permitiu tamanho absurdo? Como um juiz de primeira instância que fazia política a céu aberto MESMO SENDO JUIZ, teve tanto poder pra destruir empresas brasileiras tão fortes, ajudando a quebrar a economia do país? Como não perceberam que os EUA financiavam a operação Lava Jato “de olho” em nosso petróleo? Era tão óbvio.

Eles já viviam atacando outros países, DESDE QUE ESSES possuíssem petróleo também. Por que não fariam nada aqui com a descoberta do pré-sal? Como foi que ninguém notou que a operação Lava Jato, ao invés de barrar a corrupção, fez exatamente o oposto: colocou uma quadrilha no poder?

Como aceitaram que o melhor presidente de todos os tempo, um dos pouquíssimos governantes em 500 anos a realmente olhar pelos menos favorecidos, fosse perseguido sem tréguas durante anos a fio, para no fim ser condenado SEM PROVAS?

Como não reagiram? Como é possível que alguns até aplaudissem? O que a população tinha na cabeça ao permitir que uma mulher íntegra como Dilma Rousseff fosse tão humilhada e bandidos como Aécio, Temer e Cunha fossem tão protegidos?

Que gente era aquela que fazia dancinha pra tirar uma mulher honesta da presidência da República? Sim, aqueles vídeos vão chegar até lá intactos.

Lamento pela vergonha alheia, mas eles carregarão em si a idiotização de uma época.

E a pergunta final: Como é que o povo daquela época permitiu PACIFICAMENTE que o governo usurpador lhe tirasse tantos direitos logo após chegar ao poder, direitos esses que nem a ditadura militar teve a ousadia de tirar?

E estudantes vão mergulhar em pesquisas em busca de respostas. Debates serão feitos entre os historiadores do futuro, livros serão escritos, teses serão defendidas.

Mas, o que houve no Brasil ANTES, DURANTE e APÓS o golpe de 2016, com a conivência do judiciário, do Parlamento e da população não será compreendido NEM DAQUI A CEM ANOS, NEM NUNCA. IMPOSSÍVEL.