.
1 – “SE O PT É FAVOR, DESCONFIE
 
Nunca o ditado “tal pai tal filho” caiu tão bem para uma família quanto para Jair Bolsonaro e seus pimpolhos sem opinião própria. Assim como o papai, Eduardo Bolsonaro também aposta na ignorância dos seus eleitores, este vídeo é um exemplo clássico. Ele insinua que o PT é a favor da reforma trabalhista, mas trata-se de uma insinuação que não faz o menor sentido, tendo em vista que enquanto este vigarista e o pai votaram a favor deste projeto, todos os parlamentares petistas votaram contra, desde deputados (https://goo.gl/aMntYF) a senadores (https://goo.gl/uJ2MwU). Dentro da mesma insinuação ele generaliza dizendo que se o PT é a favor de algo, o correto é desconfiar. Mas será que tudo o que o PT está a favor é necessariamente algo ruim para o povo? Vejamos; O PT é a favor de anular a terceirização (https://goo.gl/6SUz5m), a favor de anular a reforma trabalhista (https://goo.gl/hUqNr5), bem como a favor de anular todos os projetos de Temer cuja intenção é vender o país para os gringos à preço de banana (https://goo.gl/mgWQRP), e ao que tudo indica o povo também é. E uma curiosidade, dos presidenciáveis ao planalto em 2018, os únicos que prometeram tentar anular as medidas de Temer até o momento foram Lula (PT), Ciro Gomes (PDT) e Manuela D’Ávila (PCdoB). O papai de Eduardo, também presidenciável, até agora não se manifestou neste sentido, talvez esteja muito ocupado perseguindo homossexuais ou ofendendo negros, índios, mulheres e imigrantes
 
2 – “A REFORMA É BOA PORQUE ACABA COM O IMPOSTO SINDICAL”
 
A contribuição sindical (obrigatória até novembro de 2017) era descontada na folha de pagamento do operário todo mês de março, e correspondia à um dia de trabalho (art 149 da Constituição Federal https://goo.gl/skHna). Se o operário ganha, por exemplo, 1 salário mínimo, era descontado em sua folha cerca de 30,00/ano. Irrisório, ainda mais considerando que NÃO são os eleitores da família Bolsonaro que estão nas ruas lutando pelo trabalhador e levando borrachada da polícia, mas os sindicalistas. Eduardo também alega que estes sindicalistas estavam mais é preocupados com cargos no governo, mas durante os governos do PT não houve nenhum sindicalista lotado em nenhuma secretaria tampouco em algum ministério. Defender esta reforma de Temer usando do pretexto que o trabalhador era obrigado a pagar R$30,00/ano para algum sindicato, faz tanto sentido quanto matar o cachorro para acabar com as pulgas (https://goo.gl/jicRLn)
 
3 – “A REFORMA É BOA PORQUE PRIVILEGIA O ACORDADO SOBRE O LEGISLADO” etc
 
A reforma mais próxima da nossa se deu na Espanha, o que piorou e muito a situação do trabalhadores daquele país (https://goo.gl/k3LAtt). Esta estratégia do autor do vídeo de que só há vantagens na negociação entre patrão e funcionário é chamar o brasileiro de otário, todos sabemos que a corda sempre arrebenta para o lado mais fraco. Ora, o empresário tem à sua disposição um número expressivo de desempregados batendo à sua porta, se o funcionário (ou candidato a uma vaga) não topar receber menos que um salário/mês, o empresário contrata dois e até três para o seu lugar, e pelo mesmo valor (https://goo.gl/nfV4je). Esta reforma é uma farsa em todos os sentidos, segundo Ronaldo Fleury (procurador geral do trabalho) a flexibilização da CLT não reduz o desemprego (https://goo.gl/7Aq8Zr), em verdade sequer há provas de que em países onde foi aplicada uma reforma parecida, o número de postos de trabalho aumentou (https://goo.gl/ndBvqU). Por outro lado há provas de que os empresários brasileiros se aproveitarão desta reforma para explorar os futuros funcionários, assim como passaram a explorar os que já se encontram na ativa (https://goo.gl/EtPAVb). Ao contrário da reforma de Michel Temer, em países onde também vigora o negociado sobre legislado os trabalhadores podem contar com uma ampla e robusta rede de proteção social (https://goo.gl/1QQGyy) (https://goo.gl/mweMas). Também é bom frisar que o valor pago pela hora trabalhada nestes países é infinitamente maior do que os valores a serem pagos por aqui (https://goo.gl/joacsB), nos Estados Unidos, por exemplo, graças aos movimentos sociais exigindo ao menos 15 dólares/hora, o país contará com o maior piso mundial (https://goo.gl/w3ZokW) (https://goo.gl/EJwkMj). Há uma quarentena prevista no projeto da reforma de Temer que proíbe o patrão de demitir o funcionário e o recontratar como intermitente dentro de um ano e meio, mas esta quarentena só é válida até 31 de dezembro de 2020. Ou seja, a partir desta data o empresário poderá demitir todos os funcionários da empresa e recontratá-los no dia seguinte na condição de intermitentes ou terceirizados (https://goo.gl/8A5WKW
 
4 – “A LEGISLAÇÃO BRASILEIRA É ENGESSADA, DEFASADA” etc
 
Sério? Dos anos 40 para cá, a CLT sofreu pelo menos umas 500 modificações, além das 67 disposições constitucionais de 1988 nela incluídas (https://goo.gl/4UaURq)
 
5 – “A CLT É FASCISTA, POIS É BASEADA NA CARTA DE LAVORO
 
Pra começar, a carta de lavoro tem 30 artigos, e destes 30 apenas 18 têm alguma semelhança com a nossa CLT que traz consigo nada menos do que 922 artigos. E quantos destes 18 serão alterados com a reforma de Temer? Apenas um! E veja só você, justamente o que trata da contribuição sindical (risos eternos). Vale ressaltar ainda que a referida carta nada tem de fascista contra o trabalhador, pelo contrário, são artigos que estão em sintonia com os artigos das legislações trabalhistas de vários países democráticos tais como Alemanha, Inglaterra, Argentina, Uruguai, Noruega, Bélgica e tantos outros. Vide artigo 5 (“conflito entre empregados e empregadores terão de ser resolvidos na justiça do trabalho”), art 9 (“os sindicatos são responsáveis por negociar condições de trabalho com os patrões”), art 14 (“horas noturnas têm que ser melhor remuneradas do que as trabalhadas ao dia”), art 16 (“trabalhadores têm direito a férias”), art 19 (“se o empregado cometer infrações como roubo, por exemplo, o patrão poderá demiti-lo”) etc. Mas ninguém melhor que o próprio leitor para analisar o conteúdo desta carta https://goo.gl/YFZqLW, e a opinião de alguns que realmente a estudaram a fundo (https://goo.gl/b4XoPi) (https://goo.gl/uzhNYB). Eduardo é mais fascista do que os autores da carta e tão hipócrita quanto o pai, pois não contente, afirmou no final do vídeo que houve uma flexibilização na CLT em 2001, mas aquelas alterações da gestão FHC nada tem a ver com as de Temer (https://goo.gl/eozV7B). O fascista ainda fecha com “chave de ouro” afirmando que as de Temer não alteram em nada o art 7º da constituição (https://goo.gl/DX5AxZ). Será que Dudu está com a razão? Bom, a OAB e o MPT dizem que não (https://goo.gl/m7X1Hs) (https://goo.gl/YKXjU1) Além do mais, é bem suspeito que os parlamentares tenham ocasionado gastos aos cofres públicos nas votações da reforma para tratar de um projeto que “não mudará em nada” a vida do brasileiro. 
 
OBSERVAÇÃO: Este vídeo de Eduardo foi a pedido de um grupo denominado MBL (“Movimento Brasil Livre”), movimento este que além de apoiar as reformas de Michel Temer, recebia dinheiro tanto do partido do presidente quanto dos partidos aliados com o propósito de promover mentiras e manifestações contra Dilma Rousseff (https://goo.gl/Ak5qNa). Michel Temer, inclusive, disse com todas as letras em uma de suas patéticas coletivas de imprensa, que contrataria alguns líderes do movimento em questão para ajudá-lo nas reformas, incluindo a trabalhista. Meio contraditório convocar estes jovens para tratar de um tema tão sério quanto a CLT, tendo em vista que assim como os membros da família Bolsonaro, nenhum jamais pisou num chão de fábrica que não para pedir votos (https://goo.gl/PQ3EJU)
.
.

.

Autor: Comunidade29

.