Tudo começou ao longo dos 13 anos em que o PT governava o país… Os ricos estavam preocupados com o número cada vez maior de pobres se dando bem. Tinham consigo que se não reagissem, em pouco tempo a miséria estaria extinta por completo, e sem ela não teriam outra fonte de renda. Sabendo que não poderiam confessar sua real preocupação, não tiveram outra saída que não usar a imprensa para convencer a população de que Dilma Rousseff estaria “destruindo o país”. Colocaram camisas da corrupta CBF e saíram às ruas contra a petista, investiram uma boa grana nas redes sociais visando convocar cada vez mais pessoas para as manifestações. Também não pouparam faixas, cartazes, outdoors, caminhões de som, enfim, o circo foi tão bem armado que boa parte dos pobres passou a acreditar no discurso sem provas da classe dominante. Os parlamentares de direita não tiveram dúvidas; era o momento certo para dar na petista o bote certeiro. O STF como faz parte do “grande acordo nacional”, fez vista grossa, provando mais uma vez que sua função nunca foi a de aplicar as leis como manda a constituição, mas servir aos interesses do mercado.

Após a queda da presidente os ricos detentores dos meios de produção continuariam a impor seus interesses em prejuízo dos nossos direitos para reaver seus privilégios. Para eles o mercado só poderia sobreviver direcionando toda a engrenagem na contramão do que defende a esquerda, “retomada da economia”, diziam eles. Uma das suas preocupações, por exemplo, era o número de pobres que abortavam. Quanto mais abortos menos funcionários para que eles explorassem no futuro. Sabendo que não poderiam confessar sua real preocupação, usaram a imprensa para convencer a população de que a mulher que aborta é uma criminosa. A população tão logo se revoltou contra elas, e os parlamentares ditos “de direita” se sentiram seguros para proibir o aborto até em casos de estupro. E conforme planejado pela burguesia, elas continuaram a gerar filhos atrás de filhos que terminariam como mão de obra barata para o mercado.

Os ricos estavam preocupados com o número cada vez maior de mulheres recebendo bolsa família, quanto mais beneficiárias menor o número de funcionárias se sujeitando a trabalhar até por um prato de comida. Sabendo que não poderiam confessar sua real preocupação, usaram a imprensa para convencer a população de que o bolsa família além de estimular a vagabundagem, ainda dá prejuízo aos cofres públicos. A população tão logo confundiu investimentos com gastos e se revoltou contra as beneficiárias, e os tais parlamentares que se dizem “defensores da família” se sentiram seguros para proibir o bolsa família até em casos de miséria. E conforme planejado pela burguesia, elas voltaram a servir de mão de obra barata para o mercado.

Os ricos estavam preocupados com o número cada vez maior de pobres entrando pra universidade, quanto mais pessoas concluindo o ensino superior maior a concorrência no futuro para seus filhos. Sabendo que não poderiam confessar sua real preocupação, usaram a imprensa para convencer a população de que a privatização é positiva para a qualidade do ensino. A população tão logo se empolgou com o belo discurso, e os parlamentares se sentiram seguros para privatizar todas as universidades. E conforme planejado pela burguesia, sobraram apenas os seus filhos se formando enquanto os pobres disputavam entre si as míseras vagas para ensino fundamental e médio ofertadas pelo setor público. Era a opção menos ruim, tendo em vista que o setor público, apesar de pagar menos oferecia estabilidade.

Os ricos estavam preocupados com o número cada vez maior de pobres entrando para o setor público, quanto mais servidores menor o número de desempregados batendo à porta das suas empresas. Sabendo que não poderiam confessar sua real preocupação, usaram a imprensa para convencer a população de que além de haver um excesso de servidores, o “péssimo serviço” prestado pelos mesmos seria “fruto da confiança na estabilidade”. A população tão logo exigiu punição para  todos os servidores, e os parlamentares se sentiram seguros para retirar sua estabilidade. E conforme planejado pela burguesia, só restou para os pobres a eterna instabilidade do setor privado.

Os ricos estavam preocupados com o número cada vez maior de ações movidas contra eles inclusive por trabalho escravo. Sabendo que não poderiam confessar sua real preocupação, usaram a imprensa para convencer a população de que só não aumentavam o salário dos funcionários devido ao “excesso” de encargos trabalhistas que eram obrigados a pagar ao governo. A população tão logo se indignou contra os próprios direitos, e os parlamentares se sentiram seguros para impor uma drástica reforma trabalhista. E conforme planejado pela burguesia, os pobres além de perderem todos os direitos não ganharam um centavo a mais. Pelo contrário, se tornaram mão de obra ainda mais barata para o mercado.

Os ricos estavam preocupados com o número cada vez maior de pessoas se aposentando, em suas mentes doentias estas pessoas ainda teriam condições de puxar carroça por um bom tempo. Sabendo que não poderiam confessar sua real preocupação, usaram a imprensa para convencer a população de que a nossa expectativa de vida aumentou bastante, e se não houvesse uma reforma ninguém mais conseguiria se aposentar. A população tão logo entrou em pânico imaginando que ninguém mais conseguiria se aposentar, e os parlamentares se sentiram seguros para impor uma drástica reforma da previdência. E conforme planejado pela burguesia, ficamos sem aposentadoria e tendo de servir de mão de obra barata até o fim das nossas vidas.

Os ricos estavam preocupados com o número cada vez maior de famintos partindo para o mundo do crime, a começar por roubá-los e a sequestrá-los. Sabendo que não poderiam confessar sua real preocupação, usaram a imprensa para convencer a população de que até a favelada que rouba leite para alimentar o filho merece pena de morte. A população tão logo passou a enxergar até os trombadinhas como criminosos de alta periculosidade, e os parlamentares se sentiram seguros para impor a pena de morte até para menores. E conforme planejado pela burguesia, os criminosos ricos seguiram cometendo crimes e se safando graças a bons advogados, enquanto os criminosos pés de chinelo acabavam na cadeira elétrica, trazendo por fim alguma paz ao mercado.

Embora o golpe estivesse saindo conforme planejado, os ricos ainda tinham uma preocupação; o número cada vez maior de pessoas percebendo que eles estavam por trás daquele caos, e que os três poderes da república nada mais são do que serviçais à mercê dos seus caprichos. Seria o fim destes endinheirados se elas alertassem o restante da população que são eles os nossos verdadeiros algozes. Sabendo que não poderiam confessar sua real preocupação, usaram a imprensa para convencer a população de que estas pessoas não passam de “comunistas querendo roubar os ricos, o que consequentemente levaria os pobres à miséria absoluta”. A população tão logo passou a reprimir estas pessoas, e os parlamentares se sentiram seguros para impor leis contra quem se rebelasse contra o sistema. E conforme planejado pela burguesia, só restou aos oprimidos a versão que interessa aos opressores

.

Autor: Comunidade29

 

.