Por Jorge Ívano no Facebook

O objetivo de Putin é o mesmo de Trump, há uma troca em curso.  Ele em 2019 invade militarmente a Ucrânia tal qual anexou a Criméia. O Brasil fica na órbita dos Estados Unidos da América.

O segundo maior produtor de grãos são os EUA e o maior concorrente do Brasil na commoditie minério é o Canadá.

O canal Chinês na Nicarágua se tornará o maior investimento fora da China, divisas para ela por décadas e, estará preservado a parceria sino-americana via o Panamá, pois a ampliação do canal americano, depende da interrupção do fluxo das três mil embarcações semanais que cruzam o canal do Panamá e serão desviadas para o novo canal que não concorrerá diretamente com o canal americano.

Vai haver conflito armado contra o Brasil, é preciso arrasar com os preços das commodities brasileiras, é projeto dos formadores do Conselho de Segurança da ONU, nos fazer “baratinhos”, a espinha dorsal do Brasil será quebrada por décadas.

O Brasil virará, como já se observa na informalidade maior que a formalidade produtiva, um “Grande Paraguai”, com preços do agrobusines e dos minérios muito abaixo das cotações da concorrência Internacional.

O Brasil no projeto das sete maiores economias do mundo, será o depósito de baixo custo para estes novos saltos econômicos destas sete potências que formam o Conselho de Segurança da ONU. Tudo isso, num grande acordo de esvaziamento da projeção que a esquerda estava construindo para o nosso país.

Vejo por muitos motivos necessário este choque que aproveita a ignorância brasileira em todos os partidos e direções.

Com a ajuda da elite ignorante e pueril, estamos sendo enfraquecidos e fazendo parte da partilha por parte de nossos concorrentes e importadores.

Eu sou “spy” da nova rede que conversa com Putin e o Comintern do PC Chinês.

Concordo com a destruição econômica total do Brasil, não vejo alternativa para o aprendizado do povo, a pior nação do mundo em respeito próprio.

Este povo nunca evoluirá sem sofrimento real da guerra civil. E da pobreza generalizada.