Você deve ter ouvido falar sobre a atual depressão na economia brasileira. Você sabe o que ela significa? Sabe por que o Brasil está em depressão? Falar sobre isso sem ter uma visão da economia mundial e da geopolítica que provocou a divisão das economias dos países patrocinadas por governos capturados por alguns poucos financistas que mandam no mundo é no mínimo desonesto.

Todos os povos do mundo seguem hoje em marcha contra a financeirização de suas economias com a completa dominação dos governos por grandes corporações e bancos que não deixam que os interesses do povo sejam levados em conta na gestão dos recursos inerentes a cada país.

Com essa avaliação conseguimos ter clareza do que está acontecendo no nosso país patrocinado pelo governo golpista e seus patrões.

É importante lembrar que desde o início do governo de Dilma Roussef em 2015, sob o patrocínio do PSDB, com Aécio Neves no comando da instabilidade do governo que ele mesmo disse que faria sangrar, o Brasil entrou num ciclo de recessão que nos afundou na maior depressão da economia brasileira desde os anos 30. O golpe parlamentar e midiático nos jogou no abismo. E não foi a toa que isso ocorreu.

Os EUA estão na corda bamba na sua economia, tem dívidas na casa dos trilhões, uma delas inclusive com o Brasil, e tem tido ao longo dos últimos anos ataques diretos da China, que tem comprado seus ativos mais do que qualquer um. O EUA dependem de uma economia que precisa continuar atrelada ao dólar e os chineses e a Europa estão já há algum tempo comercializando seus produtos em suas próprias moedas, coisa que o Brasil não fez e não faz. A proteção dos EUA para sua moeda e sua produção é tornar a América Latina novamente dependente e impedir que suas exportações sejam negociadas em qualquer outra moeda que não seja o dólar.

O Brasil, dentro da América do Sul é um celeiro de riquezas. Tem energia através do petróleo. Tem 25% de toda a água do mundo. Tem terras produtivas e boas para plantio e criações. E tem um Banco Central totalmente vendido e dirigido pelo rentismo internacional que nunca protegeu nossa moeda, nossas estatais e consequentemente nossa economia. Tudo de bom para o mercado financeiro que nos governos de Lula e Dilma quase tiveram seus planos destruídos em seus objetivos de controlar nossa economia e nossas instituições.

Foi fácil planejar o golpe com o dinheiro de vários políticos e empresários corruptos que tem renda investida lá fora em vários tipos de transações. E esses não se preocuparam em provocar o desastre brasileiro, pois, com o desastre na economia poderiam ganhar mais e estrategicamente colocariam o Brasil de novo dentro de uma ciranda neoliberal.

O impeachment da presidenta Dilma Roussef, comprado a peso de ouro para promover a depressão econômica no país, começou com o desmonte da Petrobras, o desmonte das empresas que cresceram durante os governos do PT, a marca da corrupção sendo colocada na mente das pessoas como se a mesma estivesse generalizada durante esses governos através da mídia causando a completa desestabilização do país. Isso tudo foi imprescindível para forçar o desmonte de todas as nossas empresas estatais, a retirada de direitos dos trabalhadores e o desemprego.

A estratégia foi maquiavélica. Deixar o povo sem condições financeiras, tendo que lutar diariamente pela sua sobrevivência, sem possibilidades de fazer outra coisa senão isso, colocando a culpa disso nos governos do PT foi muito eficiente.

Ao mesmo tempo, através do desemprego, da diminuição dos salários dos trabalhadores e com um imenso mercado de reserva de mão de obra, o patrocínio da mais valia torna o mercado mais lucrativo para os grandes empresários que imersos numa cultura colonialista e exploratória não percebem o declínio econômico que ajudaram a financiar. Atrelados a isso, a retirada de direitos, terceirização e o bloqueio da justiça do trabalho para defender os trabalhadores os movimentos sociais e sindicais ficam completamente desestruturados para promover a luta contra o retrocesso.

Ao mesmo tempo, os golpistas desoneram os impostos dos empresários de grandes corporações que já são sonegadores e fazem eles ficarem mais ricos tornando-os aliados cada vez mais ferrenhos. Mais uma grande canalhice contra o país e contra seu povo.

É preciso que tenhamos consciência de que o grande empresariado em qualquer crise aqui no Brasil nunca se deu mal. Quando a economia vai mal eles colocam seu dinheiro em títulos públicos do governo e mandam dinheiro pra fora ganhando de dois lados. Além disso, quando resolvem pagar os tributos repassam tudo que pagam para os preços dos produtos e serviços que todos nós pagamos. Eles nunca perdem.

Ou seja, o governo golpista protege o grande empresariado e os bancos que não deixam nunca de ganhar e bem sua remuneração em cima da desgraça de famílias inteiras de trabalhadores e pequenos e micro empresários.

A estratégia deles é assassina. Fazer o povo ficar mais pobre para deixar todos sem ação e sem possibilidades de encontrar meios de sobreviver e de resistir e lutar contra o retrocesso que provocam.

Outros meios que estão se utilizando também é a promoção da gastança de todo o orçamento público, sem o menor escrúpulo e na frente de todos. O governo golpista está torrando o nosso dinheiro usando-o de forma criminosa para comprar deputados e senadores para votar contra o povo que deveriam defender, pagar benesses e privilégios para o judiciário corporativista não criminalizá-los, pagar Caixa 2 e propinas e ainda por cima, entregar toda a nossa riqueza para estrangeiros, trazendo seu poderio militar para o Brasil no intuito de nos dominar.

É preciso lembrar que o Presidente Lula lá atrás pagou nossa dívida com o FMI, emprestou para outras nações, e acumulou reservas capazes de nos suprir em momentos difíceis da economia mundial porque sabia que isso nos deixaria em condições mais robustas para enfrentar qualquer crise. Até porque o consumo interno nos propiciaria as condições necessárias de enfrentar a ciranda financeira que faziam com o Brasil que antes era devedor e não tinha as reservas que tem hoje.

Mas, como estão essas reservas hoje com o dinheiro sendo gasto indiscriminadamente com o único fim de proteger o bolso dos financistas internacionais e seus aliados brasileiros? Sem reservas o Brasil poderá quebrar como quebrou a Grécia. A culpa, diferente do que eles estão dizendo é exclusivamente deles. Esses lesa pátria que derrubaram uma presidenta honesta para se locupletar no poder.

Assista esse documentário e veja como bem o que estou dizendo. Os EUA compram pessoas nos países que querem dominar e nos manipulam a seu favor. O autor do vídeo John Perkins sabe do que fala porque já fez parte do grupo de pessoas que trabalhou para empobrecer países. É ele que diz: “Assassinos econômicos (AEs) são profissionais altamente remunerados cujo trabalho é lesar países ao redor do mundo em golpes que se contam aos trilhões de dólares. Manipulando recursos financeiros do Banco Mundial, da Agência Americana para o Desenvolvimento Internacional (USAID), além de outras organizações americanas de ‘ajuda’ ao exterior, eles os canalizam para os cofres de enormes corporações e para os bolsos de algumas famílias abastadas que controlam os recursos naturais do planeta. Entre os seus instrumentos de trabalho incluem-se relatórios financeiros adulterados, pleitos eleitorais fraudulentos, extorsão, sexo e assassinato. Eles praticam o velho jogo do imperialismo, mas um tipo de jogo que assumiu novas e aterradoras dimensões durante este tempo de globalização. Eu sei do que estou falando; eu fui um AE.”

E como vamos combater isso e outras tantas estratégias que usam contra nós? Não tenho a fórmula certa, mas, com certeza vamos precisar de estratégias e táticas novas e criativas. E muita sabedoria para colocar nossa ansiedade e nossa indignação na defesa de um Brasil soberano a serviço de nosso povo. Uma coisa com certeza é certa. Todos nós precisamos de muito, mas, muito mesmo de formação e conhecimento para mobilizar o povo para as ruas.

Por hora, que cada um seja responsável por adotar uma escola, uma universidade, uma comunidade, um bairro para fazer chegar a todos essas informações. O grau de estrago na economia brasileira já está empobrecendo tanta gente que daqui a pouco a grande maioria estará num estado onde não tem mais nada a perder. Queremos uma sociedade onde ninguém mais debate política e vê solução para os problemas? Queremos uma civilização onde ninguém acredita mais nas instituições e não vê luz no fim do túnel? Os regimes totalitários e antidemocráticos surgem desse fator psicológico que aliena a cidadania.

Caberá a nós que em todos os tempos passados e presentes já conhecíamos a luta e nos formamos nela ajudar essas pessoas a se emanciparem e se unirem a nós. A palavra de ordem é UNIDADE e SOLIDARIEDADE lado a lado com o povo. Não nos renderemos… A luta continua mais e mais firme e resoluta.