A vida diária é feita de hábitos. Os hábitos funcionam para nos direcionar para as escolhas que temos na vida. Assim sendo, precisamos identificar os hábitos que nos ajudam a viver melhor e os que nos prejudicam a vida e não funcionam. Desde 1989 que venho transformando meus hábitos. Ao longo do tempo com mais experiência, mais estudo, mais conhecimento e muita observação e pesquisa fui me tornando mais consciente, mais feliz e realizada. Resolvi então agora fazer um texto sobre isso. 

Ao longo dos últimos dois anos, principalmente, esses hábitos mudaram com muito mais rapidez e isso tem me proporcionado paz, equilíbrio e uma maior sensibilidade do que vem funcionando na luta cotidiana que temos tido.

Observo que muitas vezes nossa militância está muito mais preocupada em denunciar tudo e todos do que esclarecer e ajudar na mudança da cultura de ódio para uma cultura democrática e solidária. Vejo todo mundo apoiando (sem se dar conta) o sistema criado por esses que estão aí nos dominando ajudando a criar disputas pessoais ao invés de fazer a disputa da narrativa contra as mentiras da mídia e dos opressores. Vejo gente oprimida cada vez mais ocupada em oprimir o outro sem compreender que quanto mais faz isso mais joga o outro contra si e fortalece o clima de guerra. Tudo isso faz parte da subjetividade colonial que herdamos. Precisamos mudar nossos hábitos para criarmos outro país.

Deixo aqui, a minha visão do que entendo como os 13 Hábitos importantes para a Militância de Esquerda ter mais eficiência na luta contra o golpe e contra a desinformação, nas redes e nas ruas, não se deixando levar pela cultura individualista e fascista do momento:

1) Tire ao menos uma hora por dia para sonhar com um país melhor, visualize como seria esse país, com pessoas justas, dignas, democratas e solidárias, com um governo que de fato queira democracia, justiça e igualdade para todos. Coloque toda sua emoção nessa visualização.

2) Observe em que você está focando. Não coloque seu foco nos escândalos e contendas, pois, com isso você dá força para aos criadores de crises e manipuladores de emoções. Denuncie o que de fato pode ser denunciado, pesquisando fatos e dados, mas, acima de tudo coloque seu foco nas soluções. Isso irá te ajudar a se prevenir contra as mentiras, suposições e convicções que são espalhadas por aí. Centre-se nas possibilidades de fazer diferença positiva na vida das pessoas.

3) Leia ao menos uma hora por dia um bom livro de história, sociologia, política, economia e psicologia que te faça refletir sobre as situações da sua vida e as conexões que elas tem com o que acontece no Brasil e no mundo.

4) Pare de ver novelas, séries e jornais da Globo, SBT, Bandeirantes, Veja e outros tipos de mídia lixo e procure na Internet documentários, filmes e notícias que possam te mostrar outras realidades, outras culturas e as diferenças que existem no mundo. 

5) Deixe de comprar em lojas de grandes corporações cujos empresários sejam sonegadores de impostos e que estimulem trabalho escravo, baixos salários e péssimas condições de trabalho. Pesquise quem são. Faça ao menos uma vez por dia propaganda contra essas lojas e empresários. 

6) Guarde ao menos 30% do que ganha (seja quanto for que você ganhe) para ter uma reserva quando precisar de um dinheiro extra. Os banqueiros lucram em cima dos juros exorbitantes que roubam de você aqui no Brasil através de cartão de crédito, cheque especial, empréstimos e outros mecanismos financeiros para fazer você ficar na mão deles. Eles não tem que te explorar. Você que tem que controlar a sua vida financeira. 

7) Não compre o que não precisa. Não gaste dinheiro com supérfluos. Não se deixe seduzir pelas propagandas de novos produtos. Na maioria das vezes você compra por impulso e nunca vai precisar daquele produto. Amontoar supérfluos em casa te faz gastar dinheiro à toa e não ajuda o meio ambiente.

8) Medite ao menos vinte minutos por dia sobre suas atividades diárias. Questione-se sobre o que fez que deu certo e sobre o que deu errado e o que precisa fazer para ter mais eficácia nas suas atividades.

9) Participe de um coletivo que debata e desenvolva atividades políticas nos bairros, escolas e instituições da sociedade ao menos uma vez por mês. A atividade em grupo te ensinará muitas coisas, irá te dar estímulo nas horas de crise e lições sobre as diferenças entre solidariedade e competição. Aprenda a refletir em grupo e a respeitar as decisões tomadas no coletivo. Democracia se aprende não só na teoria, mas, principalmente na prática.

10) Escreva suas metas e objetivos para seu dia, para o mês, para o ano e para os próximos três e cinco anos. Leia-os em voz alta todos os dias ao dormir e acordar. Isso irá te ajudar a dar atenção ao que realmente interessa e a te disciplinar para não se distrair com os assuntos que são estimulados pelos orientadores do caos e da guerra em nosso cotidiano.

11) Não alimente disputas, ódios, competição, exploração e guerra. Para isso já basta os manipuladores de emoções que são pagos para fazer isso pelos nossos adversários. Entenda que muitos dos adversários atuais foram criados e manipulados na mesma cultura civilizatória repressora, exploradora e colonial que você. Não discuta com eles. Não perca tempo precioso com isso. Sua coerência e exemplo serão muito mais contundentes. 

12) Observe sua vida e seja grato (a) por ela e por tudo que tem. Não inveje ou tenha ciúmes de pessoas que tem o que você não tem. Não queira aparecer. Não torne a vida um espetáculo de quem pode mais ou quem é mais arrogante. Como seres humanos precisamos dar ênfase ao nosso aperfeiçoamento humanístico e nossa participação solidária e cidadã na sociedade.

13) Movimente seu corpo todos os dias fazendo algum tipo de atividade física e lúdica. Dance, cante, caminhe na praia ou no campo, esteja em contato com a natureza de alguma forma. Isso irá aliviar o estresse diário.