Por Cristiana Castro no Facebook

Impressionante o peso de Dirceu e Genoíno no Brasil, acredito que nem nós imaginávamos que eram tão grandes.

Nesse sentido, posso entender o desespero da classe política e da máfia-midiática. São adversários de peso com uma militância leal e, portanto, uma pedra no caminho dos desafetos que como não conseguem vencê-los em combate limpo contratam mercenários para segurá-los enquanto batem.

Mas, me espanta o Judiciário, em especial, o STF.

Gostemos ou não, Dirceu e Genoíno, ainda muito jovens deram suas vidas por esse país. Ainda muito jovens foram capazes de atos de coragem que, até hoje, despertam a inveja de muitos políticos.

Mais uma vez, são eles que estão a frente, presos ou não, da resistência a mais uma tentativa golpista, agora, já aos 68 anos…

E, o que dizer desses ministros do STF, quase todos mais novos que José Dirceu e José Genoíno? Uns caras que nunca fizeram nada por esse país, que já tem tudo, idade avançada ( a maioria ) , conta gorda ( todos ) e até filhos encostados ad eternum…

Ou seja, esses caras não tem mais nada a perder ou a ganhar, já estão, assim como suas famílias, perpetuados nas costas da sociedade, recebendo de verdade por um trabalho que fingem fazer.

Já somos obrigados a carregar a obesidade financeira e inoperante que representam e eles ainda acham que há espaço em nossas costas para o fardo de sua covardia, o mais pesado de todos…

Não é possível que senhores e senhoras que jamais foram capazes de qualquer coisa pelo país que sustenta sua insignificância não sejam capazes de um único ato de coragem nem que seja por gratidão. Entendemos e, por isso não exigimos desses ministros nada além do que deveriam, ao menos, simular, saber fazer.

Ninguém está pedindo favor algum aos ministros do STF, apenas, exige-se que cumpram seu dever de ofício. É óbvio que não estou me referindo ao Ministro Lewandowski, mas, se um ministro pode, os outros também podem. É uma opção, não existe a menor possibilidade de, num futuro, próximo, alegarem qualquer  tipo de pressão para justificar o que estão fazendo agora, até porque, os que sofrem por sua covardia, jamais deixaram de lutar pelo país apesar das adversidades.

Tá na hora dos ministros do STF decidirem o que querem ser qdo crescerem, se é que crescerão um dia. Podem ser homens da estatura de José Dirceu ou terminar seus dias como Ayres Britto.

Sou mulher, sou ferrada, não tenho 50 anos, mas prefiro morrer lutando do que ser um Ayres Britto.